segunda-feira, 24 de março de 2014

Dia da Poesia, Dia da Floresta

Na sexta-feira comemorou-se o Dia da Poesia e o Dia da Floresta. Começamos a nossa aula com a leitura do poema " Poema das árvores" de António Gedeão, e a leitura de algumas quadras retiradas do Cancioneiro Popular "Eu hei de amar um pinheiro" e  "Meu coração pede, pede".
Fizemos a proposta, aos alunos, para continuar o poema a partir do segundo verso, e/ou continuar as quadras apresentadas. Formámos grupos de trabalho e cada grupo optou por uma proposta de trabalho.
“Meu coração pede, pede”

Meu coração pede, pede
Terra para um pomar
Meus olhos se obrigarão
A dar água para o regar.

 
Meu coração pede, pede
A bela flor do pomar
                                                           Para quando estiveres a meu lado
                                                           Eu te a entregar.

                                                          Meu coração pede, pede
A flor do belo jardim
Que te deixo cheirar,
No meu vaso de jasmim.

Meu coração pede, pede
A maçã da macieira
Para a apreciares
À sombra da bananeira

Meu coração pede, pede
                                                          A linda cerejeira
                                                          Que plantei
                                                          Ao lado da linda pereira.

Meu coração pede, pede
O feijoeiro do ar
Para tu sempre amares
Até o teu casamento finalizar.

Meu coração pede, pede
As árvores do jardim
Onde estão incluídas a pereira, a macieira
e o meu amor por fim!!!


Eu hei de amar o pinheiro

Eu  hei de amar o pinheiro
enquanto pinhas não tem
aproveita-te menina
enquanto eu te quero bem.
Enquanto eu te quero bem
estarei sempre contigo
tal como o pinheiro
um excelente amigo!

Quando nasce o sol
vou-te procurar
sempre que estou contigo
fico logo a corar.

Sempe que te vejo
tu que és um pinheiro
reparo na tua grandeza
que vale tanto dinheiro.

A tua enorme sombra
é boa para relaxar
um dia levo-te para casa
para todos os dias nela descansar.

Mas quando nasce uma pinha
Já não te quero
Mas até te adorava
Para ser sincero.

Como presente de despedida
dou-te a resistência de um sobreiro
para a utilizares bem
protegendo o habitat inteiro.

És uma árvore fantástica
cheia de beleza
a Homem tem de proteger-te
A ti e  a toda a natureza!!!

“Eu hei de amar o pinheiro”

Pinheiro, és alto e esbelto
a tua sombra me dás
enquanto leio uma história
e descanso em paz.

Pinheiro de grande  copa
os teus ramos me dão prazer
a tua beleza é de encantar
com os teus frutos a valer.

És uma árvore
de grande admiração
quando estou contigo
fazes-me sentir uma grande emoção.

A tua presença,
me inspira
até me fazes,
dançar o vira.

As tuas folhas verdes
voam pelo ar a bailar
são uma doçura
que me fazem sonhar.

A ti te vou proteger
sem desistir!
E tu vais sobreviver
pois vamos conseguir!!!

“Meu coração pede, pede”

Meu coração pede, pede
um jarrinho com uma flor para regar
essa flor há de crescer
até nunca mais parar.

Meu coração pede, pede
para não o deixar
estar sempre com ele
e não parar de o amar.

Meu coração pede, pede
para uma árvore criar
que dê frutos saborosos
para eu os saborear.

Meu coração pede, pede
um animal para eu adotar
que ele seja fofinho
para com ele sempre estar .

Meu coração pede, pede
uma linda borboleta,
que está sempre!
Em cima da violeta!

Meu coração pede, pede
um colar para me embelezar
quando eu estiver com os animais
eles vão dizer que eu estou a brilhar.

Meu coração pede, pede
para a floresta continuar a viver
que ela esteja protegida
para a sua vida não perder.

Meu coração pede, pede
para o sol brilhar
vai dar calor à natureza
e todos irá alegrar.

Meu coração pede, pede
para uma andorinha me dar
que ela seja muito bonita
felizes sempre iremos estar.
 

Meu coração pede, pede
que eu seja amiga do ambiente,
que viva no meio dele
e que ele fique contente!
"Poema das árvores"

As árvores crescem sós. E a sós florescem.
Começam por ser nada. Pouco a pouco
ficam bonitas a valer
vão dar fruto e nós os vamos comer.
Com árvores a floresta vai crescer.
O Homem sempre a correr
Para os frutos escolher
Toca a andar para o quintal
acabar de o regar. No dia
seguinte começar a andar
para o dia terminar com a casa cheia de
frutos deliciosos vamos ter.
As folhas das árvores vão voar,
E o homem sempre apanhar
os frutos em casa
vamos guardar
e depois nos alimentar.
Iremos à floresta com muito cuidado,
flores vamos apanhar até nos cansar e
este maravilhoso dia terminar,
todos os dias frutos vamos procurar
para ao meu vizinho dar.
Todos os dias as árvores iremos proteger
para a natureza sobreviver!

Parabéns aos meninos da Sala Mágica pelo trabalho realizado. Todos os grupos se empenharam e produziram estes textos poéticos maravilhosos. 
Finalizamos este dia, ainda com a leitura do poema "Os Retratos" de José Jorge Letria, declamado pela Dona Fernanda, funcionária da nossa escola, que também participou na comemoração da Semana da Leitura da nossa escola. 



Foi uma semana intensa dedicada à Leitura, ao Livro e à Cultura, mas muito gratificante!

3 comentários:

Anabela Gonçalves disse...

Parabéns por mais esta iniciativa, é muito bom incutir o hábito de leitura nos alunos e abrir a actividade a toda a comunidade educativa.

Susana Costa disse...

Adorei a iniciativa bom trabalho a todos os meninos

Vítor Sousa disse...

Adorei os poemas que em grupo fizemos! Ass: Pedro Miguel